quinta-feira, 21 de julho de 2016

Em 15 dias, Detran-PE apreende 124 documentos de motoristas infratores

Foto: Detran-PE/WhatsApp
Nos 15 primeiros dias deste mês, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PE) apreendeu 124 documentos de motoristas infratores. Foram 41 Carteiras de Habilitação e 83 Certificados de Registro e Licenciamento Veicular (CRLV). Os flagrantes ocorreram durante as blitzes das Operações Rota de Fuga e Trânsito Seguro.

Nessas operações, o Detran-PE abordou 2.393 veículos e autuou 278 motoristas por várias infrações. Sessenta carros e motos acabaram sendo levados para o depósito.

O objetivo principal da Operação Rota de Fuga é coibir a realização de manobras perigosas por carros e motocicletas em vias públicas e em calçadas. Essas práticas colocam em risco a segurança no trânsito e, sobretudo, de pedestres.

A Operação Trânsito Seguro tem como alvo infrações do cotidiano, a exemplo de deixar de usar o cinto de segurança e dirigir falando ao celular. As ações são feitas para garantir o cumprimento do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

De acordo com o presidente do detran-PE, Charles Ribeiro, o trabalho de fiscalização do órgão aposta na educação no trânsito, não só punindo, mas coibindo o cometimento da infração. Assim, colabora para impedir roubos de veículos e outros tipos de violência.

Supostas ciganas são presas por estelionato na cidade de Salgueiro


No decorrer da Operação de Combate ao CVLI, nesta quarta-feira (20), policiais militares do 8° BPM foram solicitados por três adolescentes de 16 anos, as quais informaram que foram abordadas por cinco mulheres se passando por ciganas, na cidade de Salgueiro.

As garotas disseram que as mulheres estavam segurando as mãos das pessoas e exigindo dinheiro. Uma das vítimas deu R$ 5,00, mas elas não aceitaram e exigiram que outra adolescente abrisse a bolsa e entregasse R$ 10,00.

Na ocasião, várias pessoas procuraram o policiamento para informar que também tinham sido enganadas pelas supostas ciganas. As acusadas foram levadas para a Delegacia de Polícia Civil de Salgueiro, autuadas em flagrante delito e recolhidas para a Cadeia Feminina de Verdejante.

Do Blog Alvinho Patriota

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Prefeito de Cedro-PE vai ser investigado por jogar dinheiro para o alto em via pública


A Procuradoria Regional Eleitoral de Pernambuco vai investigar o prefeito de Cedro-PE, Josenildo Leite Soares (PSB), por ter jogado uma nota de R$ 100,00 para o alto, em via pública, na última sexta-feira (15). O caso ganhou grande repercussão ao ser publicado neste blog esta semana. A notícia teve dezenas de compartilhamentos em nossa página oficial no Facebook, atingindo um público de quase 10 mil internautas.

Falando em um carro de som, o prefeito convocou todas as pessoas que estavam ao redor anunciando que iria contar até três e jogar a cédula para o alto, quem pegasse seria proprietário do valor. O gestor só não sabia que a ação estava sendo filmada e que ganharia tanta repercussão.

Através de nota, a Procuradoria Regional Eleitoral de Pernambuco informou que vai instaurar procedimento para apurar o fato. Em seguida, o órgão vai analisar as providências que podem ser adotadas em relação ao caso. O prefeito alega que jogou R$ 200 do próprio bolso, que a ação não teve intenção política, pois não será candidato e não apoia ninguém.

Polícia apreende mais de 20 mil CDs e DVDs falsificadas em Bezerros, PE

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Mais de 20 mil CDs e DVDs falsificados foram apreendidos nesta quarta-feira (20) em Bezerros, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Civil, sete pessoas - que não tiveram as idades informadas - foram detidas e levadas à delegacia.

A assessoria da polícia informou que elas devem ser indiciadas por violação de direito autoral e podem ser condenadas por até quatro anos de prisão. As apreensões foram feitas durante operação da Delegacia de Crimes Contra a Propriedade Imaterial (Deprim).

A polícia informou que quem tiver denúncias sobre produtos falsificados pode ligar para o número 81 3184-3780.
 
Do G1

terça-feira, 19 de julho de 2016

Programação oficial da 46ª Missa do Vaqueiro é divulgada


A Secretaria de Cultura, Esportes e Juventude de Serrita (Scej) divulgou nesta segunda-feira (18) a programação completa da 46ª edição da Missa do Vaqueiro, um dos mais tradicionais eventos do Sertão pernambucano. Além dos nomes que já tinham sido confirmados, na programação foram acrescentados Dorgival Dantas, Arreio de Ouro, Joquinha Gonzaga, Rômulo Júnior, entre outros.

A 46ª Missa do Vaqueiro começa na quinta-feira (21) com shows de Companhia do Vaqueiro e Jorge do Acordeom no sítio Ipueira. Na sexta-feira (22) acontece vaquejada, rodada de sanfona e shows no Parque do Vaqueiro com Fulô do Mandacaru, Arreio de Ouro, Danilo Pernambucano, Joquinha Gonzaga e Bond Xote.

Dando continuidade aos festejos, no sábado (23) haverá vaquejada, pega de boi, rodada de safona e apresentações com Flávio Leandro, Kinho Callou, Dorgival Dantas, Ítalo e Renno, Coral Aboios e Rômulo Júnior. No domingo (24) ocorre a tradicional Missa do Vaqueiro, a partir das 8h, com participações de Josildo Sá, Chambinho do Acordeon, Coral Aboios, Chico Justino e Cícero Mendes, Fernando Aboiador, Ronaldo Aboiador e Pedro Bandeira. A missa vai ser celebrada pelo bispo da Diocese Salgueiro, Dom Magnus.

Do Blog Alvinho Patriota


WhatsApp: Justiça do RJ manda bloquear aplicativo em todo o Brasil


A Justiça do Rio de Janeiro determinou o bloqueio do WhatsApp em todo o Brasil. Uma notificação foi enviada para as empresas de telefonia após o Facebook se recusar a cumprir uma decisão judicial e fornecer informações para uma investigação policial.

A decisão tomada pela juíza Daniela Barbosa manda as operadoras suspenderem o acesso imediatamente. Segundo a GloboNews, as provedoras de conexão foram notificadas da decisão por volta das 11h30.

O Facebook informou que não vai se manifestar e a assessoria do Whatsapp disse que não tem ainda uma posição sobre a decisão. Esta é a quarta vez que um tribunal decide pela suspensão do acesso ao aplicativo no Brasil. Diferentemente das outras decisões, não há um prazo definido para o retorno do serviço assim que ele for bloqueado.

O Sindicato das Operadoras de Telecomunicações (Sinditelebrasil) informou que ainda não tem informações sobre o caso. Procuradas pelo G1, Claro, Vivo e Tim afirmam que ficaram sabendo do bloqueio pela imprensa e ainda não possuem um posicionamento.

'Impossibilidades técnicas'
Segundo Barbosa, o Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, foi notificado três vezes para interceptar mensagens que seriam usadas em uma investigação policial em Caxias, na Baixada Fluminense. A juíza acrescentou que a empresa respondeu através de e-mail, com perguntas em inglês, "como se esta fosse a língua oficial deste país" e tratou o Brasil "como uma republiqueta". O Whatsapp diz não cumprir a decisão "por impossibilidades técnicas".

Segundo a decisão, o que se pede é "a desabilitação da chave de criptografia, com a interceptação do fluxo de dados, com o desvio em tempo real em uma das formas sugeridas pelo MP, além do encaminhamento das mensagens já recebidas pelo usuário (...) antes de implementada a criptografia."

O bloqueio anterior do Whatsapp foi em maio de 2016. Outro bloqueio aconteceu em dezembro de 2015, quando a Justiça de São Paulo ordenou que as empresas impedissem a conexão por 48 horas em represália ao WhatsApp ter se recusado a colaborar com uma investigação criminal.O aplicativo ficou inacessível por 12 horas e voltou a funcionar por decisão do Tribunal de Justiça de SP.

Foto: Fábio Tito/G1
Bloqueio em maio
A investigação que culminou no bloqueio em maio foi iniciada após uma apreensão de drogas na cidade de Lagarto, a 75 km de Aracaju. O juiz Marcel Montalvão pediu em novembro de 2015 que o Facebook informasse o nome dos usuários de uma conta no WhatsApp em que informações sobre drogas eram trocadas. As informações desse processo corriam em segredo de Justiça.

Segundo o delegado Aldo Amorim, membro da Diretoria de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal em Brasília, a investigação foi iniciada em 2015 e esbarrou na necessidade informações relacionadas às trocas de mensagens via WhatsApp, que foram solicitadas ao Facebook. A empresa não cumpriu a decisão.

Postagens mais antigas → Página inicial